NOTÍCIAS

Plataforma quer promover marisco, carne africana na China

Wang Xiaojin, empresário chinês radicado em Moçambique, está em negociações com outros empreendedores chineses para lançar uma plataforma que ajude jovens empresários chineses em mais de 50 países africanos a vender marisco e carne africana para a China.

Segundo a China News Service (CNS), o empresário acredita que os consumidores chineses poderão em breve comprar marisco e carne de vaca e de carneiro de elevada qualidade, vindos de África, a preços mais razoáveis.

Wang Xiaojin está ainda a trabalhar com as autoridades moçambicanas e com empresas pesqueiras da sua terra natal, na província de Fujian, no sudeste da China, para lançar um projecto bilateral de cooperação em aquacultura.

O empresário, que produz e vende artigos de plástico em Moçambique, revelou que pretende direccionar os seus negócios para áreas com maior potencial de crescimento no país africano, como o marisco e a pecuária, refere a agência noticiosa estatal chinesa.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/entrepreneurs-mull-way-to-sell-african-fish-meat-in-china/?lang=pt

Inscrições abertas a partir de hoje para “Acções de formação online da Exposição de Franquia de Macau (MFE)2020” Apoiando Pequenas e Médias Empresas a aumentarem a sua competitividade

A “Exposição de Franquia de Macau 2020” (MFE 2020) terá lugar entre os dias 22 e 24 de Outubro de 2020 no hotel The Venetian Macao. Com vista a despertar o interesse do público nas franquias e a criar oportunidades para as empresas aprenderem, através de acções de formação online, estratégias para aumentar a sua competitividade nos negócios, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) irá organizar, em conjunto com a Macau Chain Stores and Franchise Association, a Macao International Brand Enterprise Commercial Association e o Centro de Incubação de Negócios para os Jovens de Macau, quatro “Acções de formação online da Exposição de Franquia de Macau (MFE) 2020”. As inscrições encontram-se abertas a partir de hoje e podem ser efectuadas, de forma gratuita, mediante a digitalização do código QR e o preenchimento do formulário.

As acções de formação serão realizadas nos dias 28 de Julho, 11 de Agosto, 25 de Agosto e 8 de Setembro (terças-feiras), das 15 horas às 17 horas, e terão lugar nas plataformas digitais Zoom e página de Facebook , que suportam efectivamente o acesso através de smartphone, tablets e computadores desktop. As sessões de formação online abordarão temas diferentes em função das diversas estratégias de mercado e o seu ajuste, sendo convidados responsáveis de cadeias locais de franchising, proprietários de respeitadas lojas locais ou representantes de marcas conhecidas para partilharem a sua experiência e conselhos de negócio e contaremos, ainda, com a presença de consultores de design de marcas que irão transmitir segredos para melhorar a marca, etc. Através destas acções de formação online, o público pode aprender, como melhorar as suas próprias marcas ou alterar o seu modelo de negócio para, com um pensamento inovador, responder à nova normalidade do actual modelo económico. São bem-vindos as PME, os representantes do sector e os interessados para participar proactivamente nas acções de formação em causa.

Para informações sobre a inscrição e as acções de formação em pormenor, é favor contactar a Sra. Lau através do telefone (853) 2842 6018, durante o horário de expediente, ou por meio de correio electrónico: expo@mfe.mo.

A MFE é um grande evento anual de marcas internacionais de Macau, em Novembro de 2018 obteve a certificação da Associação Global da Indústria de Exposições (UFI), sendo a primeira feira da região da Grande China a obter tal certificação. A MFE 2020 será realizada, pela primeira vez, em conjunto com a 25.ª Feira Internacional de Macau (25.ª MIF) e a Exposição de Produtos e Serviços dos Países de Língua Portuguesa 2020 (PLPEX2020).
(Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau)

Gabinete de Comunicação Social: https://news.gov.mo/detail/pt/N20GXgpLIk?5

Moçambique retoma exportação de feijão para China

O Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) retomou a exportação de feijão bóer e feijão holoco para a China e Dubai, após meses de suspensão provocada por restrições impostas devido à pandemia da Covid-19, revelou o Jornal Notícias.

Segundo o diário moçambicano, o Director-Geral do ICM, Mohamed Valá, disse na terça-feira que a exportação está a ser feita a partir do porto de Nacala, na província de Nampula, no âmbito de um acordo comercial entre Moçambique e os dois países importadores.

O Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, tinha anunciado que a China iria começar a importar produtos agrícolas moçambicanos a partir de Fevereiro de 2020, referiu em Agosto passado a AIM.

Segundo a agência noticiosa estatal moçambicana, o governante disse na altura que a China iria comprar em 2020 cerca de 200 mil toneladas de feijão bóer de Moçambique.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/mozambique-resumes-exports-of-produce-to-china-dubai/?lang=pt

Equipa médica chinesa realiza cirurgia rara em Moçambique

Uma equipa médica chinesa baseada em Moçambique realizou com sucesso uma cesariana para uma rara gravidez ectópica abdominal avançada. A operação teve lugar no Hospital Central de Maputo, na capital do país africano, na semana passada.

O caso só foi detectado quando a mulher de 32 anos já estava na 33ª semana de gravidez, revelou o Sichuan News. É extremamente raro que um feto consiga sobreviver tanto tempo numa gravidez abdominal, refere o portal noticioso estatal chinês.

Tang Chunhui, um médico natural de Sichuan, decidiu, após falar com especialistas locais, realizar uma cesariana, apesar do risco de hemorragia fatal durante a remoção da placenta, explica a notícia.

Após uma cirurgia que demorou uma hora e 20 minutos, a mãe deu à luz um bebé com 1,5 quilos, sendo que ambos recuperaram bem e tiveram alta três dias após a operação, acrescenta o Sichuan News.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/chinese-doctors-perform-tricky-operation-in-mozambique/?lang=pt

Hengqin cria base sino-lusófona para cooperação entre ministérios públicos

As autoridades da província de Guangdong, no sul da China, vão criar uma base para cooperação e intercâmbio entre ministérios públicos da China e dos Países de Língua Portuguesa, com sede na ilha de Hengqin, avançou o Nanfang Daily.

Segundo o jornal chinês, o Procurador-Geral de Hengqin, Zhou Liren, disse na terça-feira que esta base irá ajudar a melhor proteger os interesses de empresas chinesas que invistam e operem nos mercados lusófonos.

A base vai promover a assistência judicial bilateral, combater os crimes transnacionais e prestar apoio na resolução de disputas transfronteiriças, além de oferecer formação a procuradores de Países de Língua Portuguesa.

Um grupo de trabalho já elaborou um plano preliminar para a criação desta base, além de ter preparado um relatório sobre cooperação judicial transfronteiriça, disse Zhou Liren ao Nanfang Daily, à margem de uma visita de empresários de Macau à Procuradoria-Geral de Hengqin.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/hengqin-to-have-office-for-intl-collaboration-by-prosecutors/?lang=pt

Trocas comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Janeiro a Maio de 2020 foram de US$51,775 mil milhões

De acordo com as estatísticas dos Serviços da Alfândega da China, as trocas comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Janeiro a Maio de 2020 foram de US$51,775 mil milhões, um decréscimo homólogo de 12 por cento.

As importações da China dos Países de Língua Portuguesa foram de US$37,1 mil milhões, um decréscimo homólogo de12,93 por cento, enquanto as exportações da China para os Países de Língua Portuguesa foram de US$14,675 mil milhões, um decréscimo homólogo de 9,56 por cento.

As trocas comerciais em Maio foram de US$9,947 mil milhões, um aumento de 0,88 por cento face ao mês anterior.

As importações da China dos Países de Língua Portuguesa foram de US$6,997 mil milhões, um aumento de 1,76 por cento face ao mês anterior, enquanto as exportações da China para os Países de Língua Portuguesa foram de US$2,95 mil milhões, um decréscimo de 1,15 por cento face ao mês anterior.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/trade-between-china-portuguese-speaking-countries-tops-us51-8-bln-in-january-may-2020/?lang=pt

Trocas comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Janeiro a Abril de 2020 foram de US$41,828 mil milhões

De acordo com as estatísticas dos Serviços da Alfândega da China, as trocas comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Janeiro a Abril de 2020 foram de US$41,828 mil milhões, um decréscimo homólogo de 9,57 por cento.

As importações da China dos Países de Língua Portuguesa foram de US$30,103 mil milhões, um decréscimo homólogo de 10,74 por cento, enquanto as exportações da China para os Países de Língua Portuguesa foram de US$11,725 mil milhões, um decréscimo homólogo de 6,42 por cento.

As trocas comerciais em Abril foram de US$9,86 mil milhões, um decréscimo de 6,91 por cento face ao mês anterior.

As importações da China dos Países de Língua Portuguesa foram de US$6,876 mil milhões, umdecréscimo de 8,36 por cento face ao mês anterior, enquanto as exportações da China para os Países de Língua Portuguesa foram de US$2,984 mil milhões, um decréscimo de 3,41 por cento face ao mês anterior.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/trade-between-china-portuguese-speaking-countries-nearly-us41-8-bln-in-january-april-2020/?lang=pt

Moçambique pede alívio da dívida à China

Moçambique irá precisar da ajuda da China para lidar com o impacto económico da Covid-19, nomeadamente através do cancelamento, suspensão ou renegociação da dívida, disse a Embaixadora moçambicana em Pequim, Maria Gustava.

A diplomata disse ao jornal China Daily que Moçambique gostaria também de obter da China ajuda financeira ou financiamento em condições favoráveis e assistência alimentar.

Segundo o jornal estatal chinês, Maria Gustava disse acreditar que há novas oportunidades para cooperação entre os dois países, apesar do impacto da pandemia no comércio e investimento bilaterais.

A Embaixadora de Moçambique gostaria de ver mais investimento chinês no futuro, para ajudar o país africano a aproveitar ao máximo os seus recursos naturais ricos e diversos, assim como a mão-de-obra abundante.

A iniciativa chinesa Uma Faixa, Uma Rota poderá ajudar a melhorar as infra-estruturas de transporte no sul de África, dando um novo impulso ao desenvolvimento económico de Moçambique, disse Maria Gustava.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/envoy-says-mozambique-will-need-chinese-debt-relief/?lang=pt

NOTÍCIAS

Wang Xiaojin, empresário chinês radicado em Moçambique, está em negociações com outros empreendedores chineses para lançar uma plataforma que ajude jovens empresários chineses em mais de 50 países africanos a vender marisco e carne africana para a China.

Segundo a China News Service (CNS), o empresário acredita que os consumidores chineses poderão em breve comprar marisco e carne de vaca e de carneiro de elevada qualidade, vindos de África, a preços mais razoáveis.

Wang Xiaojin está ainda a trabalhar com as autoridades moçambicanas e com empresas pesqueiras da sua terra natal, na província de Fujian, no sudeste da China, para lançar um projecto bilateral de cooperação em aquacultura.

O empresário, que produz e vende artigos de plástico em Moçambique, revelou que pretende direccionar os seus negócios para áreas com maior potencial de crescimento no país africano, como o marisco e a pecuária, refere a agência noticiosa estatal chinesa.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/entrepreneurs-mull-way-to-sell-african-fish-meat-in-china/?lang=pt

A “Exposição de Franquia de Macau 2020” (MFE 2020) terá lugar entre os dias 22 e 24 de Outubro de 2020 no hotel The Venetian Macao. Com vista a despertar o interesse do público nas franquias e a criar oportunidades para as empresas aprenderem, através de acções de formação online, estratégias para aumentar a sua competitividade nos negócios, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) irá organizar, em conjunto com a Macau Chain Stores and Franchise Association, a Macao International Brand Enterprise Commercial Association e o Centro de Incubação de Negócios para os Jovens de Macau, quatro “Acções de formação online da Exposição de Franquia de Macau (MFE) 2020”. As inscrições encontram-se abertas a partir de hoje e podem ser efectuadas, de forma gratuita, mediante a digitalização do código QR e o preenchimento do formulário.

As acções de formação serão realizadas nos dias 28 de Julho, 11 de Agosto, 25 de Agosto e 8 de Setembro (terças-feiras), das 15 horas às 17 horas, e terão lugar nas plataformas digitais Zoom e página de Facebook , que suportam efectivamente o acesso através de smartphone, tablets e computadores desktop. As sessões de formação online abordarão temas diferentes em função das diversas estratégias de mercado e o seu ajuste, sendo convidados responsáveis de cadeias locais de franchising, proprietários de respeitadas lojas locais ou representantes de marcas conhecidas para partilharem a sua experiência e conselhos de negócio e contaremos, ainda, com a presença de consultores de design de marcas que irão transmitir segredos para melhorar a marca, etc. Através destas acções de formação online, o público pode aprender, como melhorar as suas próprias marcas ou alterar o seu modelo de negócio para, com um pensamento inovador, responder à nova normalidade do actual modelo económico. São bem-vindos as PME, os representantes do sector e os interessados para participar proactivamente nas acções de formação em causa.

Para informações sobre a inscrição e as acções de formação em pormenor, é favor contactar a Sra. Lau através do telefone (853) 2842 6018, durante o horário de expediente, ou por meio de correio electrónico: expo@mfe.mo.

A MFE é um grande evento anual de marcas internacionais de Macau, em Novembro de 2018 obteve a certificação da Associação Global da Indústria de Exposições (UFI), sendo a primeira feira da região da Grande China a obter tal certificação. A MFE 2020 será realizada, pela primeira vez, em conjunto com a 25.ª Feira Internacional de Macau (25.ª MIF) e a Exposição de Produtos e Serviços dos Países de Língua Portuguesa 2020 (PLPEX2020).
(Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau)

Gabinete de Comunicação Social: https://news.gov.mo/detail/pt/N20GXgpLIk?5

O Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) retomou a exportação de feijão bóer e feijão holoco para a China e Dubai, após meses de suspensão provocada por restrições impostas devido à pandemia da Covid-19, revelou o Jornal Notícias.

Segundo o diário moçambicano, o Director-Geral do ICM, Mohamed Valá, disse na terça-feira que a exportação está a ser feita a partir do porto de Nacala, na província de Nampula, no âmbito de um acordo comercial entre Moçambique e os dois países importadores.

O Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, tinha anunciado que a China iria começar a importar produtos agrícolas moçambicanos a partir de Fevereiro de 2020, referiu em Agosto passado a AIM.

Segundo a agência noticiosa estatal moçambicana, o governante disse na altura que a China iria comprar em 2020 cerca de 200 mil toneladas de feijão bóer de Moçambique.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/mozambique-resumes-exports-of-produce-to-china-dubai/?lang=pt

Uma equipa médica chinesa baseada em Moçambique realizou com sucesso uma cesariana para uma rara gravidez ectópica abdominal avançada. A operação teve lugar no Hospital Central de Maputo, na capital do país africano, na semana passada.

O caso só foi detectado quando a mulher de 32 anos já estava na 33ª semana de gravidez, revelou o Sichuan News. É extremamente raro que um feto consiga sobreviver tanto tempo numa gravidez abdominal, refere o portal noticioso estatal chinês.

Tang Chunhui, um médico natural de Sichuan, decidiu, após falar com especialistas locais, realizar uma cesariana, apesar do risco de hemorragia fatal durante a remoção da placenta, explica a notícia.

Após uma cirurgia que demorou uma hora e 20 minutos, a mãe deu à luz um bebé com 1,5 quilos, sendo que ambos recuperaram bem e tiveram alta três dias após a operação, acrescenta o Sichuan News.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/chinese-doctors-perform-tricky-operation-in-mozambique/?lang=pt

As autoridades da província de Guangdong, no sul da China, vão criar uma base para cooperação e intercâmbio entre ministérios públicos da China e dos Países de Língua Portuguesa, com sede na ilha de Hengqin, avançou o Nanfang Daily.

Segundo o jornal chinês, o Procurador-Geral de Hengqin, Zhou Liren, disse na terça-feira que esta base irá ajudar a melhor proteger os interesses de empresas chinesas que invistam e operem nos mercados lusófonos.

A base vai promover a assistência judicial bilateral, combater os crimes transnacionais e prestar apoio na resolução de disputas transfronteiriças, além de oferecer formação a procuradores de Países de Língua Portuguesa.

Um grupo de trabalho já elaborou um plano preliminar para a criação desta base, além de ter preparado um relatório sobre cooperação judicial transfronteiriça, disse Zhou Liren ao Nanfang Daily, à margem de uma visita de empresários de Macau à Procuradoria-Geral de Hengqin.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/hengqin-to-have-office-for-intl-collaboration-by-prosecutors/?lang=pt

De acordo com as estatísticas dos Serviços da Alfândega da China, as trocas comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Janeiro a Maio de 2020 foram de US$51,775 mil milhões, um decréscimo homólogo de 12 por cento.

As importações da China dos Países de Língua Portuguesa foram de US$37,1 mil milhões, um decréscimo homólogo de12,93 por cento, enquanto as exportações da China para os Países de Língua Portuguesa foram de US$14,675 mil milhões, um decréscimo homólogo de 9,56 por cento.

As trocas comerciais em Maio foram de US$9,947 mil milhões, um aumento de 0,88 por cento face ao mês anterior.

As importações da China dos Países de Língua Portuguesa foram de US$6,997 mil milhões, um aumento de 1,76 por cento face ao mês anterior, enquanto as exportações da China para os Países de Língua Portuguesa foram de US$2,95 mil milhões, um decréscimo de 1,15 por cento face ao mês anterior.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/trade-between-china-portuguese-speaking-countries-tops-us51-8-bln-in-january-may-2020/?lang=pt

De acordo com as estatísticas dos Serviços da Alfândega da China, as trocas comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Janeiro a Abril de 2020 foram de US$41,828 mil milhões, um decréscimo homólogo de 9,57 por cento.

As importações da China dos Países de Língua Portuguesa foram de US$30,103 mil milhões, um decréscimo homólogo de 10,74 por cento, enquanto as exportações da China para os Países de Língua Portuguesa foram de US$11,725 mil milhões, um decréscimo homólogo de 6,42 por cento.

As trocas comerciais em Abril foram de US$9,86 mil milhões, um decréscimo de 6,91 por cento face ao mês anterior.

As importações da China dos Países de Língua Portuguesa foram de US$6,876 mil milhões, umdecréscimo de 8,36 por cento face ao mês anterior, enquanto as exportações da China para os Países de Língua Portuguesa foram de US$2,984 mil milhões, um decréscimo de 3,41 por cento face ao mês anterior.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/trade-between-china-portuguese-speaking-countries-nearly-us41-8-bln-in-january-april-2020/?lang=pt

Moçambique irá precisar da ajuda da China para lidar com o impacto económico da Covid-19, nomeadamente através do cancelamento, suspensão ou renegociação da dívida, disse a Embaixadora moçambicana em Pequim, Maria Gustava.

A diplomata disse ao jornal China Daily que Moçambique gostaria também de obter da China ajuda financeira ou financiamento em condições favoráveis e assistência alimentar.

Segundo o jornal estatal chinês, Maria Gustava disse acreditar que há novas oportunidades para cooperação entre os dois países, apesar do impacto da pandemia no comércio e investimento bilaterais.

A Embaixadora de Moçambique gostaria de ver mais investimento chinês no futuro, para ajudar o país africano a aproveitar ao máximo os seus recursos naturais ricos e diversos, assim como a mão-de-obra abundante.

A iniciativa chinesa Uma Faixa, Uma Rota poderá ajudar a melhorar as infra-estruturas de transporte no sul de África, dando um novo impulso ao desenvolvimento económico de Moçambique, disse Maria Gustava.

(Fonte) Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa:
https://www.forumchinaplp.org.mo/envoy-says-mozambique-will-need-chinese-debt-relief/?lang=pt

rfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-sliderfwbs-slide